Conta um causo e ganha um aplauso

O sertão tem tanto encanto por conhecer! Uma terra de lonjura com tanto lenda, tanto causo bom e mágico! E o melhor contador de histórias pra mostrar isto para nós é um vaqueiro famoso chamado Seu Alexandre – velho mestre na arte da palavra, criado pelo grande autor Graciliano Ramos.

Escrito em 1944 o conto “Estribo de Prata” trata de Seu Alexandre quando jovem, no tempo em que  este valente vaqueiro  não temia bicho real ou imaginário, qualquer coisa aparecesse em seu caminho. Era nas noites de lua cheia que ele reunia seus vizinhos e parentes a fim de  impressioná-los com suas narrativas de aventuras. Ávidos por mistérios, os ilustres convidados vem chegando: Seu Libório e sua viola, o curandeiro Galdêncio, a benzedeira Das Dores, Seu Firmino (o cego)  e sua amável esposa Cesária.

E ele começava a contar: Foi numa noite de silencio medonho, com lua surgindo com cara  assustada e um cachorro uivando sem parar, que apareceu uma imensa cascavel assanhada para devorar o vaqueiro. Ele enfrentou a danada sem pestanejar tendo os xiquexiques como testemunhas. Mas essa aventura não acabou neste atrevido enfrentamento não! O causo se desenrola e prosa de Seu Alexandre fica mais incrível. Parece até mentira. Porque surge, de repente, sem aviso nem sinal um descomunal estribo de prata. O estribo é a parte da cela do cavalo onde a gente põe o pé. É pequeno, mas este apareceu do tamanho de uma jaca! Mas, pera lá! Só Seu Alexandre poderá explicar…

No início, os integrantes dos Tapetes Contadores se perguntavam como poderiam aproximar nossas crianças de hoje a um causo de um sertão antigo? Como fazer brilhar aos olhos infantis a rica literatura do grande escritor Graciliano Ramos? Pois é. Para tal, o grupo confeccionou um cenário de cores e texturas, um enorme tapete que se abre e vai revelando cavalo, lua, cavaleiro, cobra.

A sessão mistura teatro e narração de histórias, em que os atores-narradores interagem com o publico de forma lúdica, como se fossem contadores de causos, travando disputas entre eles para saber quem está contando verdade ou mentira. Com viola ao vivo, os narradores convidam as crianças a entrarem neste sertão mágico, brincando com os tempos passados, como outrora em volta da fogueira e da poesia da palavra.

QUEM CONTA UM CAUSO GANHA UM APLAUSO

Com o Grupo Os Tapetes Contadores de Histórias

A partir da obra de Graciliano Ramos.

Duração: 45 minutos.

Publico alvo: Crianças a partir de 3 anos.

Atores, cenários e figurino: Cadu Cinelli, Rosana Reátegui e Warley Goulart.

adaptação de Cadu Cinelli e Warley Goulart a partir da obra de Graciliano Ramos

Direção: Warley Goulart

Músicas: Marcelo China



Que legal! 4 pessoas comentaram

  1. Luciana lima wrote:

    Olá,atuo como contadora de hist. na escola. Gostei muito. Luciana Lima

  2. Sua idéia foi genial para desenvolver um trabalho com crianças na atualidade… nossas crianças recebem informações diversas do mundo virtual e esse material precisa ser filtrado…Parabéns… Vamos aproveitar sua idéia…

  3. Conheci o trabalhao de vocês em uma semana de oficinas no CEFETQ em Nilópolis a muitos anos atrás….Foi tão marcante que hoje com meu meu pequeno filho de 4 anos quero que ele e todos os amiguinhos dele da escola, e todas as professoras e todos os pais (rsrsrsrsrs) sintam o mesmo. Como podemos promover esse encontro?